Resenhas
Comments 2

Como sustentar hábitos sem desistir

Desde criança, a leitura sempre esteve presente no meu cotidiano e, em grande parte, devo isso ao incentivo que recebi dentro de casa. Leio todos os dias e para mim isso não representa a menor dificuldade. Eu não tenho mais capacidade do que pessoas que não gostam de ler, eu apenas tenho um hábito que essas pessoas não têm.

Como construí esse hábito desde muito nova, sequer consigo lembrar o momento em que ler deixou de ser uma obrigação ou uma dificuldade; esse processo de iniciar um novo comportamento até que ele se torne habitual acontece em muitas outras áreas, com todos nós.

Buscamos aprender um novo idioma, emagrecer ou aprender a tocar um instrumento, mas a falta de resultados imediatos é um grande convidativo à desistência.

Leitura e aprendizado

Foi, justamente, em meio à desmotivação, que encontrei a resposta para esse dilema: comprei um livro chamado Mini-hábitos, de Stephen Guise, e o deixei na “fila de espera”, até que um dia, após concluir a leitura de outro livro e, desesperada por não estar conseguindo os resultados esperados numa certa atividade, comecei a ler Mini-hábitos.

O autor explica, de modo simplificado, que a maior parte do nosso cérebro funciona no automático, muitas vezes condicionada por ações que foram repetidas com frequência ao longo de nossas vidas.

O córtex frontal, responsável por efetivamente ponderar as causas e efeitos de nossas ações, apesar de ser muito inteligente, é facilmente vencido pelo subconsciente, por fatores como o estresse e o cansaço.

Portanto quando queremos atingir um novo objetivo, como aprender um novo idioma, por exemplo, é muito comum que, depois dos primeiros dias de empolgação para os estudos, nosso cérebro automaticamente reproduza a ação anterior a estudar, ou seja, a procrastinação.

Sustentando hábitos

Para reprogramar esse comportamento, apesar das pesquisas demonstrarem ter obtido sucesso em 21 ou 30 dias, pode levar meses! Então o autor sugere que, ao invés de traçar uma meta enorme, como “ser fluente em alemão”, você trace um objetivo bem pequeno para repetir todos os dias e que, futuramente, levará você ao resultado final (a fluência, nesse caso).

Se você pretende se tornar um leitor mais assíduo, estabeleça o mini-hábito de ler uma página por dia. Por ser tão fácil ler uma página, você provavelmente vai ler mais do que uma, mas nos dias de desmotivação, não deixe de ler aquela uma página.

Ao final de um, dois, três meses, você vai constatar que a leitura se tornou um hábito e, quando perceber, estará lendo um livro por mês.

Caso o seu objetivo seja aprender a tocar um instrumento musical, desafie-se a aprender uma nota por dia, depois um acorde, depois uma música. Se sua meta é se exercitar, faça como o autor do livro: ele se desafiou a fazer uma flexão por dia. Enfim, acho que deu para entender a ideia, né?

Resultados imediatos são superestimados. Quando focamos apenas no que queremos, deixamos de apreciar o processo todo, que pode ser muito demorado – e surpreendentemente positivo – dependendo das metas que estabelecemos.

cropped-Capa-blog-terra-2-e1546892279942-1.png

Espero ter ajudado, e espero que você comece o seu novo mini-hábito ainda hoje!

2 Comments

  1. Muito bom! Adorei. Estava precisando dessa leitura para começar um pequeno hábito de que ando “fugindo”.

Deixar uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.